""Eu segurei muitas coisas em minhas mãos e eu as perdi; mas tudo que eu coloquei nas mãos de Deus eu ainda possuo." Martin Luther King
Caminho perdida e só pelas ruas Os meus passos ecoam no asfalto Chega até mim um sussurro de inocencia, talvez... Passos de de solidão invadem-me No luar da indiferença Sinto-me um peão no tabuleiro da vida Deslocam-me, mas não me envolvo Sentimentos artificiais Que deslizam sem razao Um limão de amargura Esquálido, murcho, oco. Desperta meu coração Sossega a noite que te amortalha Na pequenez do mundo

1 comentário:

Haere Mai disse...

Parece-me que os astros estão desalinhados. Luas perdidas, Sois gélidos...emfim! precisamos todos de nos reencontrar-mos...e encontrar-mos o equilibrio nas forças da natureza, sendo esta que nos rege. A tua poesia minha amiga é muito bonita. Beijo azul...sempre!