""Eu segurei muitas coisas em minhas mãos e eu as perdi; mas tudo que eu coloquei nas mãos de Deus eu ainda possuo." Martin Luther King

Homem só

Em caminhada errante o homem vai só Os passos ecoam na calçada Talvez o som dos pensamentos Que o assolam em voz calada A chuva cai em vulcões da lava ardente Balança uma gota de saudade orvalhada Num rosto imutável -se eu gritar,vais-me ouvir?- Continua a caminhada Na noite que se avizinha Fria de medos contidos De bruma mumificada Que vai deixando rasgos De gritos sofucados, abafados No silêncio...das palavras

2 comentários:

anónimo disse...

Boa noite para si. Sou um leitor atento deste blog, diáriamente venho aqui.Aprecio tudo que aqui deixa, parece-me feito com sentimento e paixão.
Penso que tem aqui textos escritos por si, posso perguntar porque não os assina?
São por demais bonitos e emotivos.
Apenas hoje me atrevi a comentar talvez porque me identifique com este texto.Prometo voltar.
Luz e paz para si

Haere Mai disse...

Não é necessario gritar..consigo ouvir o grito mudo...
beijo azul


Escreves maravilhosamente bem.Parabéns amiga.Estou fascinada e sou tua fã porque o que escreves é em azul.