""Eu segurei muitas coisas em minhas mãos e eu as perdi; mas tudo que eu coloquei nas mãos de Deus eu ainda possuo." Martin Luther King
O Governo etíope estima que, actualmente, 75 mil crianças de menos de cinco anos de idade que vivem nas zonas afectadas pela seca estão ameaçadas de desnutrição aguda e necessitam duma assistência terapêutica imediata, para se assegurar a sua sobrevivência.No país, quatro milhões 600 mil pessoas pelo menos instaladas nas zonas afectadas pela seca necessitam de ajuda humanitária imediata.De acordo com o UNICEF, as crianças são as mais vulneráveis aos choques nutricionais e as primeiras a falecer quando os alimentos faltam. As taxas de mortalidade entre as crianças que sofrem de desnutrição aguda, que não beneficiam de assistência médica adequada e estão privadas dos alimentos terapêuticos necessários variam de 25 a 50 por cento. Johnson vai deslocar-se aos pontos quentes do sul do país e manterá encontros com representantes do Governo, parceiros das Nações Unidas, doadores e responsáveis de Organizações não Governamentais que intervêm em actividades humanitárias para responder à situação de emergência provocada pela seca.O UNICEF, principal fornecedor de alimentos terapêuticos da Etiópia, deve no entanto fazer face a um grave défice de produtos necessários para salvar a vida das crianças afectadas pela desnutrição aguda.Na semana passada, o organismo recebeu 92 toneladas de alimentos terapêuticos prontos a utilizar, que poderiam ser distribuídos para a assistência doméstica de crianças em estado de desnutrição severa, à condição que estes últimos não sofram de complicações que necessitem duma supervisão médica.Nas próximas semanas, são esperadas ainda mais de 770 toneladas de alimentos terapêuticos, para fazer face a necessidades de alimentares para seis semanas.Tomando em consideração que, segundo as previsões, a situação de emergência deverá prosseguir ainda durante pelo menos três meses, estas expedições não são suficientes. Fonte: Panapress Autor: África Today/CB

5 comentários:

Gui disse...

Belo texto, infelizmente dá-se prioridade a armas de guerra, em vez de se matar a fome aos povos que sofrem.
A tua sensibilidade, minha amiga, revela-se nos textos que escolhes.
Admiro-te muito e prezo a tua amizade.
Beijo Isa
Gui

Mara disse...

De facto é lamentavel que ninguem se lembre dos pobres que tanto sofrem.
Então as crianças, como me dói amiga, como podem seres inocentes sofrerem tanta dor, passarem tanta necessidade.
Soluções alguem as tem? Ou apenas não querem ter?
Um beijo lindo para ti
Mara

Jota disse...

Agora falando a sério, este texto é lindo e é lamentavel a situação em que estas pessoas vivem (vivem? será que isto se chama viver?)
Um abraço do Jota

Jota disse...

Quando digo lindo refiro apenas a forma como está escrito.
Porque o seu conteudo infelizmente só retrata pobreza e as condições degradantes e opressoras deste povo tão sofredor
Jota

Joana disse...

ó isabel sem duvida que esta realidade é algo que me assusta, crianças inocentes.E pouco se pode faazer por elas, infelizmente é o governo deste mundo.
Ainda me resta um pouco de esperança que tudo mude e que inocentes vinguem;)