""Eu segurei muitas coisas em minhas mãos e eu as perdi; mas tudo que eu coloquei nas mãos de Deus eu ainda possuo." Martin Luther King

Novo dia

Abro as janelas do vento em ondas de emoções e de lamentos resquicios de folhas secas já pisadas de um outono anunciado ainda perdido varandas de solidão desse passado refletem-se na aurora que sorri devagar, timidamente em passos que se desdobram surgem novelos de anseios sentimentos escondidos suspensos em fiapos de esperança que desabrocham lentamente na aurora que se vislumbra abro-me a um novo dia caminho silenciosa desato nós, desfaço laços transformo o choro em vontade

9 comentários:

Anónimo disse...

Que o novo dia deixe a escuridão fazer parte do passado e a aurora despontar.

Beijos
Lori

Anónimo disse...

Amiga que os nós desatados nos tragam os laços dourados da felicidade. Já merecemos!!!!
Beijos
Mara

Andradarte disse...

Vejo para aí muito desanimo??!!


O meu Post hoje, responde à sua pergunta,
'se eu tinha um neto'.

Beijo

Anónimo disse...

Escrever desanuvia o espirito, liberta as emoções. Gostei do que li
Abraços
Gui

Haere Mai disse...

Mais um belo poema!!!! Para quando a tua entrada no Luso Poemas? Hein?

Vá la! tu derrotaste-me! tiveste mais comentários que eu!!!! Bora lá menina!
Beijo azul
Fatima!

Haere Mai disse...

ATENÇÃO AMIGOS E CONHECIDOS DA ISABEL! INCENTIVEM-NA A POSTAR NO LUSO POEMAS! É UMA POETISA DE SUCESSO. PODEM COMPROVAR O QUE VOS DIGO VISITANDO O LINK QUE DEIXEI NO POST ANTERIOR.
HAERE MAI-FATIMA
BEIJO AZUL

Tétis disse...

Olá Maysha

Este teu texto em forma de poema é, no meu entender, um grito de esperança, uma enorme vontade de seguir em frente, de derrubar barreiras, de abrir as janelas e deixar entrar o sol de um "Novo dia".

Força, amiga, vamos lá a desatar nós, desfazer laços e transformar o choro num largo sorriso aberto a esse "Novo dia".

Estou contigo!...

Beijinhos

Ligia disse...

Querida amiga, que lindo poema! Realmente, devias estar num momento de grande inspiração. Embora um pouco triste, é verdadeiro. Porque todos nós, embora verdadeiros, as vezes somos tristes. Beijo de paz, para ti e os teus.

Mariz disse...

Querida amiga do lado esquerdo do peito

bonito post...no entanto sinto-te sempre sem aquele sorriso rasgado de plenitude, de quem abraça a vida com o prazer de quem a ama!
Dás-me a noção de aceitação pelo do novo dia, como igualmente a vonade de fechares a janela....
O que te atormenta?
E o que te consola?
Que estado é esse de intermitência?

PArabéns pelo teu neto...que Deus o guie e guarde - sempre na Sua LUZ

Deixo-te o meu abraço abraçado de gratidão, e de satisfação por ter-te como amiga

Sempre...
Mariz

ESPAVO! - como em MU